domingo, 9 de março de 2014

A gota que salva vidas e a Baixa que encanta a alma...

No passado dia 06 de março, realizou-se a visita de estudo ao Instituto Português do Sangue (IPS) de Lisboa com a turma A do 9º ano.

Saímos da escola, por volta das 08h30, e uma hora depois estávamos prontos a entrar nesta instituição pública, que tem por missão garantir e regular, a nível nacional, a atividade da medicina transfusional e da transplantação e garantir a dádiva, colheita, análise, processamento, preservação, armazenamento e distribuição de sangue humano, de componentes sanguíneos, de órgãos, tecidos e células de origem humana. Aqui, podemos rever aprendizagens, avaliar conhecimentos e aprender muito sobre o sangue, mas não só… outros assuntos acabaram por surgir, genética, doenças infetocontagiosas, ciclo sexual feminino,… e até culinária!

Hora de almoçar… partimos em direção à Baixa de Lisboa!

McDonalds do Rossio, barriguinha cheia e toca a caminhar!...

Descemos a Rua da Prata até à Praça do Comércio, mais conhecida por Terreiro do Paço. É uma praça da Baixa de Lisboa, situada junto ao Rio Tejo, na zona que foi o local do palácio dos Reis de Portugal durante cerca de dois séculos. É uma das maiores Praças da Europa, com cerca de 36000m² (180m x 200m).

Pelo caminho, passamos o Arco da Rua Augusta, considerado um dos ex-libris da cidade de Lisboa. O monumento começou a ser programado quando, após o terramoto de 1755, se iniciou a reconstrução da cidade.

Regressando ao Rossio, subimos a Rua Augusta. No fim da Rua Augusta, contornámos para a Rua do Carmo em direção ao… Elevador de Santa Justa, também conhecido como Elevador do Carmo. É um dos monumentos mais interessantes da Baixa, centro histórico lisboeta. Concebido por Raoul Mesnier du Ponsard, abriu em 1902, altura em que funcionava a vapor, e em 1907 começou a trabalhar a energia elétrica, sendo o único elevador vertical em Lisboa a prestar um serviço público. Feito inteiramente de ferro fundido e enriquecido com trabalhos em filigrana, o elevador dentro da torre sobe 45 metros e leva 45 pessoas em cada cabine (existem duas). O café no topo conta com vistas magníficas sobre o centro de Lisboa e o Rio Tejo.

Terminamos a Visita na Praça dos Restauradores, com a visita ao Hard Rock Café.
A Praça dos Restauradores situa-se no extremo sul da Avenida da Liberdade, mesmo acima da estação de comboios do Rossio. Esta, é uma das áreas mais movimentadas de Lisboa e o local onde se pode admirar o renovado Orion Eden, em tempos um teatro e hoje um hotel que manteve a encantadora fachada original.

Aqui fica um pequeno registo deste dia bem passado:

Espero que tenham gostado tanto quanto eu!  ;)

Sílvia Rodrigues

segunda-feira, 3 de março de 2014

Grutinhas, Ursinho e Mosteirinho :D

Dia 28, por volta das 07h45, anunciava-se a chegada do 4º elemento do Staff da visita de estudo a Mira d’Aire… Pipiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii (saiam da frente, dizia o calhambeque)

Tempo para tomar um cafezinho para despertar, organizar a malta e a partida lá foi por volta das 08h15, tal como previsto…

Ao som de Quim Barreiros (esta parte é para enganar quem não foi…), lá foi o pessoal todo bem disposto até ao primeiro local a visitar – as grutas de Mira d’Aire (as maiores de Portugal). Ainda houve tempo para uma paragem… Um lanchinho da manhã, uma ligação ao mundo virtual, umas moedinhas gastas em joguinhos e… ala que se faz tarde!

Chegados às grutas, começamos por ver um vídeo explicativo da história, localização e formação desta Maravilha do nosso país. Seguiu-se a entrada e exploração de um mundo maravilhoso… Muitas estalactites, estagmites, colunas, algares, rios e até cogumelos!


Já era tempo de almoçar! Partimos, então, para o Ecoparque Sensorial Pia do Urso. Um local carregado de história, com uma paisagem natural verdadeiramente deslumbrante e habitações típicas desta região serrana, em que a pedra (calcário) e a madeira se constituem como os principais materiais utilizados.


De barriga cheia e de pernas bem trabalhadas, despedimo-nos da Aldeia da Pia do Urso e partimos rumo à Batalha.
E o que fomos visitar?!   :)
O mosteiro da Batalha, claro está!

Mandado edificar em 1386 por D. João I de Portugal, como agradecimento à Virgem Maria pela vitória na Batalha de Aljubarrota. Este mosteiro dominicano foi construído ao longo de dois séculos até cerca de 1517, durante o reinado de sete reis de Portugal, embora desde 1388 já ali vivessem os primeiros dominicanos. Exemplo da arquitetura gótica tardia portuguesa, ou estilo manuelino, é considerado património mundial pela UNESCO, e, em 7 de Julho de 2007, foi eleito como uma das sete maravilhas de Portugal. (informação retirada da Wikipedia)

Mais um lanchinho e chegou o momento de regressar à Quinta do Conde!

E assim se passou um dia de escola diferente, onde, de forma divertida, se pôde realizar novas aprendizagens, ver in loco o que se aprendeu nas aulas, conviver e partilhar conhecimentos!

Estão de parabéns, portaram-se muito bem!!!

Um grande bem-haja a todos!

Para recordar:




Sílvia Rodrigues